Uma tropa de elite para o evangelismo

tropa-de-elite

Dia desses eu vi uma cena curiosa que me lembrou como o uso da lei no evangelismo é importante e poderoso na pregação do evangelho.

Eu estava indo para o trabalho e num momento o ônibus parou em um semáforo que tinha acabado de fechar. Enquanto esperava (o que mais poderia fazer se estava dentro do ônibus??) eu vi em uma outra rua um carro parado no semáforo também esperando que esse abrisse. Estava o motorista e uma mulher ao lado. Logo atrás parou uma viatura da polícia, também esperando que o semáforo abrisse. Assim que a viatura parou, o motorista virou para a passageira e falou alguma coisa. Ela estava sem cinto. Discretamente olhou pelo retrovisor e, após constatar que uma viatura estava logo atrás, mais discretamente ainda colocou o cinto. O semáforo ficou verde e todos saíram sem maiores problemas.

Eu não sei como funciona exatamente essa questão de quem deve multar ou não em casos assim. Eu sei que em São Paulo a CET tem essa função, mas não sei se isso também cabe à polícia ou não. Eu sei que isso foi ensinado no meu Curso de Formação de Condutores, mas eu acho que não estava prestando atenção, já que não me lembro da resposta…

Quando um representante da lei chega perto de uma pessoa que está fazendo algo errado ou mesmo que tem algum culpa no cartório, rapidamente essa pessoa muda seu jeito, pelo menos naquele momento, para se adequar à lei. Assim como a passageira rapidamente colocou o cinto de segurança quando viu que uma viatura estava logo atrás dela (e nem sabemos se os policiais realmente perceberam que ela estava sem cinto), quando usamos a Lei no evangelismo, podemos ver o pecado tentando se adequar ao peso da Lei. Como se estivesse na presença de um policial que acaba de pegá-lo em um flagrante, o pecador, via de regra, tenta se justificar quando percebe seus pecados expostos pela luz da Lei. “Todo mundo faz isso”, “foi só uma vez”, “mas eu sou humano” e tantas outras respostas desse tipo aparecem no evangelismo. E eu gosto quando o pecador começa a se justificar. Isso é bom.

O pecador que começa a se justificar no evangelismo está na verdade reconhecendo que fez algo errado. É a ação da Lei no convencimento do pecador. Ele está sendo convencido, mas não pode simplesmente se entregar. Ele precisa se defender.

“Deus resiste ao orgulhoso, mas dá graça ao humilde.”

Tiago 4:6

Somente haverá graça para aqueles que se humilharem perante Deus. É necessário que o orgulhoso seja quebrado. Isso não é rápido, mas é efetivo.

Por isso que Spurgeon chamava a Lei de “nosso maior auxiliador” na pregação do evangelho.

Quem não gostaria de ir fazer evangelismo protegido por uma viatura de polícia? Pois Deus nos deus em suas Escrituras algo muito mais poderoso do que dez viaturas, uma verdadeira tropa de elite: a Lei.

Use e abuse de forma bíblica dos Dez Mandamentos em seu evangelismo. Prepare o caminho para que os humildes recebam a graça de Deus.

Um comentário em “Uma tropa de elite para o evangelismo

Deixe uma resposta

Pin It on Pinterest